Número 36 . Novembro 2010
México
País das Tequilas, dos sombreros, dos Mariachis, da praia ou uma verdadeira potência regional com impacto Mundial.

O México tem uma área de 1.964.375 Km2, com uma população de cerca de 111 milhões de habitantes, com a curiosidade de que a idade média do país é de 27 anos, o que constitui um potencial demográfico muito interessante.

- Cerca de 75% da população vive em cidades. As mais relevantes são: Cidade do México, Guadalajara, Monterrey, Puebla, Toluca, Veracruz;

- A denominação oficial é Estados Unidos Mexicanos e a capital é Cidade do México que tem 22 milhões de habitantes. A Cidade do México é, actualmente, a quarta economia, mais importante da América Latina;

- 11º País Mundial, em termos de habitantes, 13ª Economia Mundial, com um PIB em 2008 de cerca de USD 1081 Milhões, cinco vezes o PIB Português;

- Sexto maior produtor de Petróleo,15º exportador Mundial e 14º importador, fazem do México uma verdadeira potência Mundial e que, tem percepção externa de um mero destino turístico.

O conjunto dos dados macroeconómicos que se apresentam serve para aproximar a percepção do México à sua realidade. A Europa não tem uma percepção muito clara acerca do mercado mexicano

A organização política do México é muito similar à dos EUA com 31 Estados e um Distrito Federal, com autonomia executiva, legislativa e financeira.

O México é sete vezes maior que a França e tem na sua diversidade a maior riqueza. Contacta com os dois Oceanos (Pacifico e Atlântico), transformando o México numa plataforma de valor estratégico inestimável.

O país, desde de 1994, tem vivido numa atmosfera de estabilidade social, política e económica.

Após a crise 1994 (a denominada crise da Tequila), o México iniciou um trabalho de abertura aos mercados internacionais firmando um Acordo de Livre Comercio com os EUA e Canadá, nesse mesmo ano, que transformou, por completo o perfil do país nos seus fundamentos macroeconómicos.

As exportações mexicanas têm como destino predominante a América do Norte com 85%, sendo que, o EUA representam cerca de 70% das exportações.

Esta dependência do mercado dos EUA, coloca o México muito vulnerável ao que passa no vizinho do Norte mas, por outro lado, garante-lhe alguma estabilidade.

O investimento em infra-estruturas serve, exactamente, para suportar esta nova estratégia, este novo desígnio nacional.

Como potência regional, o México promove o aparecimento de uma organização de comércio e de redes de infra-estrutura chamada MesoAmerica , onde participam todos os países da região, desde o México até à Colômbia, criando uma comunidade de cerca de 200 milhões de consumidores.

Construção

O México apresenta no sector da construção uma característica diferenciadora de outros países com esta dimensão.

A maior construtora, ICA, não factura anualmente mais de 2,2 mil milhões de USD, sendo que a empresa de Carlos Slim (o homem mais rico do Mundo), IDEAL/CARSO, tem metade deste valor.

O mercado organiza-se por regiões. As empresas nacionais são poucas e com um volume de negócio que não excede os USD 200 milhões/ano, com a excepção das, anteriormente referidas.

O México, em relação ao sector específico da construção, apresenta previsões bastante animadoras pois, o desenvolvimento da sua infra-estrutura é crítica para suportar o novo modelo de desenvolvimento mexicano, baseado nos 42 acordos internacionais que impulsionaram o crescimento do seu comércio internacional em 57% no período de 2004/2008.

Com previsões, para o período de 2009/20014, de crescimento da actividade de construção de 6,4%, similares ao Brasil, bem como, de 6,2% para o período de 2014/2020, o México encontra-se no top ten mundial dos países com melhor previsão de crescimento no sector de construção.

Em 2007 foi apresentado o chamado Plano Nacional de Infra-estruturas que representa um investimento de 22 mil milhões de Euros para o período 2007/2012.

Esse plano abrange todas as actividades relacionadas com a melhoria da rede de infra-estrutura, desde estradas a gasodutos, linhas de transmissão de electricidade, portos,...

O Plano Nacional de Infra-estruturas vem responder a um défice bastante profundo das infra-estruturas mexicanas. De acordo com os dados oficiais, o México ocupa o 71º lugar no ranking da qualidade das suas infra-estruturas, 57º das estradas, com uma rede de 356.945 km (2008), 132.973 pavimentadas e 11.000 no perfil de auto-estrada em A2 ou A4.

TURISMO

Com cerca de 21 Milhões de turistas/ano é o 8º destino mais visitado, absorvendo cerca de quatro vezes mais turistas que o Brasil.

O México é um destino turístico visitado por vários portugueses no âmbito da promoção de viagens directas à zona de Cancún/Riviera Maya mas, o México apresenta hoje uma diversidade de propostas, bastante interessantes e atractivas em termos turísticos. Em especial quando falamos de praias. O México tem cerca de 440 praias registadas.

A costa do Pacífico é menos conhecida dos turistas europeus e, em particular, dos portugueses , mas apresenta soluções fantásticas desde as Baías de Huatulco, Puerto Escondido - zona , mundialmente conhecida pelo surf -, Puerto Vallarta, Punta Mita, os tradicionais Los Cabos , bem como, as praias menos conhecidas de Chiapas.Na costa do Pacífico também se situa o mítico porto de Acapulco , zona balnear tradicional dos habitantes da Cidade do México e a praia de Ixtapa.

Na Costa Atlântica temos Cancún, Riviera Maya e, a menos conhecida, a Playa del Cármen. É uma pequena cidade costeira, muito similar às praias/cidade portuguesas. Tudo se passa na 5ª Avenida da playa del Cármen. Hoteis como o Deseo e o Mosquito Blue fazem os encantos dos visitantes que gostam de hotéis boutique.

Seguindo em direcção ao Belize temos a Isla de las Mujeres, Cozumel e as mais belas praias do Caribe, ainda pouco exploradas.

Mas o México é um destino Histórico/Monumental muito rico.
Não existe nenhum destino no Continente Americano mais rico em património, história e cultura, colocando o México como a terceira nação com o maior número de cidades consideradas Património da Humanidade pela Unesco.

As civilizações Asteca, Maia e Inca encheram o México de vestígios verdadeiramente espectaculares.

As ruínas de Tulum, Chichén Itzá, Teotihuacan (cidade do México), EL Tajín, Monte Albán em Oaxaca, são lugares obrigatórios para que se conheça essas civilizações.

Não se deve omitir os centros históricos de Campache (a única cidade murada do País), Puebla, Oxaca, Queretaro, Tlacotalcan e a cidade monumental de São Miguel de Allende.

Mas o México não termina nas praias ou no seu património histórico, o Ecoturismo hoje já representa uma parcela muito importante do turismo no México. Chiapas, Palenque, os Vulcões Mexicanos são alguns exemplos da riqueza do México.

Cidade do México

Uma capital com cerca de 22 Milhões de habitantes, com certeza que proporciona todo o tipo de experiências, que se possa imaginar.

Mas, de facto, a cidade divide-se em zonas, em colónias, permitindo aos seus habitantes alguma qualidade de vida, no meio de um imenso tráfego que enlouquece qualquer um que não esteja preparado.

Polanco, Roma, Condessa, Santa Fé, Lomas e Benito Juarez são algumas colónias famosas da cidade do México.

Todas estas zonas têm características particulares. Ou pelo tipo de actividade que se desenvolve nesses bairros (empresas de serviços, sedes de actividades do Governo, escritórios de multinacionais), ou pelo perfil dos seus habitantes.

A Cidade do México é uma capital cosmopolita que oferece aos seus visitantes oportunidades gastronómicas e de actividade cultural muito diversificadas.

Pequeno Almoço no Café Ó, nas Lomas, depois, uma ida às compras na Avenida do Presidente Masarik, em Polanco, (a avenida da Liberdade da Cidade do México), almoço no El BIKO, em Polanco ( considerado um dos melhores restaurantes do Mundo), com visita para o Museu Nacional de Antropologia. Após o almoço o roteiro obriga a uma visita ao centro histórico e beber um chá.

O jantar é no Hotel El Brick, o novo spot do México e de seguida assistir a um concerto no Auditório Nacional, na Reforma.

O dia termina numa discoteca a escolher entre muitas que se situam em Polanco, Condessa , Santa Fé ou na zona Sul.

Quem quiser um final de dia mais intimista, passa a noite na Praça Garibaldi, local onde os Mariachis se reúnem para serenatas, enchendo a praça de cor e som tipicamente mexicano.

É também aqui que se situa a Cantina mais famosa do México, conservando todo o seu misticismo. Não se esqueça, no entanto, que as mulheres não podem entrar em determinadas zonas da Cantina.

Para dormir, a Cidade do México oferece uma imensa oferta. Destaco o Hotel St. Regis. Actualmente é o melhor do México e tem dois ilustres portugueses na gestão desta unidade hoteleira.

O Grupo Mota-Engil no México

O grupo Mota-Engil iniciou as suas actividades no México através da participação num concurso internacional. Foi em consórcio com a empresa Espanhola Isolux Corsán e uma participação de 50%, com inicio em 2007 e adjudicação, em 14 de Fevereiro de 2008, para construir, operar e manter em regime de concessão, o último troço da Auto-estrada Cidade do México-Veracruz ( principal porto atlântico do México) de 60KM.

Essa participação é realizada através da Ascendi com um valor de investimento de cerca de 500 milhões de Euros.

Tem um Orçamento de construção, inicial, de cerca de 200 Milhões de Euros.

A concessão é denominada Autopista Perote-Xalapa e insere-se no Programa Nacional de Infra-estruturas.

Foi esta concessão que catapultou o Grupo Mota-Engil a estar presente no México e a definir este país como um mercado estratégico, no âmbito do plano Ambição 2013.

Após essa primeira adjudicação, a actividade da Ascendi, no México, foi incrementada com a criação da Ascendi México e a participação em 2 concursos em 2009.

A Ascendi prepara-se para apresentar até ao final do ano, em consórcio, três propostas para igual número de concursos com um valor total de construção de cerca de 600 milhões de Euros.

TRANSITEX

A Transitex é a empresa do Grupo Mota-Engil especialista em transporte de mercadorias (Transitário) e iniciou a sua actividade no México em 2009, contando com a visão estratégica de que o Porto de Lisboa é o que está mais perto da costa Atlântica do México. Sublinhe-se que a Espanha é o quarto mercado mais importante do México, quer no sentido das exportações, quer no sentido das importações .

IDINSA

De acordo com o plano estratégico Ambição 2013, o Grupo Mota-Engil determinou que a presença nos mercados estratégicos deveria ser realizada através de parcerias locais que tivessem capacidade de crescimento, bem como, um profundo conhecimento do mercado especifico.

Nesse sentido, foi realizado uma associação com a Idinsa, empresa de dimensão média do mercado mexicano, especialista em infra-estruturas, em especial. pontes e viadutos.

A Idinsa é liderada pelo Eng.º Victor Ortiz, presidente da associação de Vias Terrestres do México, antigo Director de Produção de umas das mais prestigiadas empresas de construção do México, o Grupo GMD.

A parceria realizou-se, no passado dia 27 de Maio, com assinatura, em Lisboa, do contrato de associação. Para este investimento foi constituído um veículo especial com a participação da Opway.

O objectivo estratégico do Grupo Mota-Engil para o México é replicar o modelo português, permitindo a entrada de todas as áreas que tenham vantagens competitivas nesse mercado.

Esperemos que o ano de 2010 continua a trazer boas notícias do mercado mexicano.

Eng.º  João Pedro, do Grupo Mota-Engil


© 2019 MOTA-ENGIL, SGPS