Número 36 . Novembro 2010
Mota Engil Engenharia/Ascendi
Subconcessão do Douro Interior Pronta em 2011

A Subconcessão do Douro Interior adjudicada à Ascendi vai abranger 15 concelhos, melhorando a qualidade de vida de 330 mil habitantes. O custo total da construção desta infra-estrutura rodoviária ronda os 587 milhões de euros e tem conclusão prevista para final de 2011. O valor dos trabalhos adjudicados à Mota-Engil Engenharia é de cerca de 272 milhões de euros constituindo uma das mais importantes obras em curso.

A empreitada inclui a concepção, construção, financiamento, manutenção e exploração, sem cobrança de portagem, de cinco lanços do IP2, entre Vale Benfeito e Celorico da Beira (IP5), e de três lanços do IC5, entre Murça e Miranda do Douro. Contempla também a exploração e manutenção, sem cobrança de portagem, do lanço do IP2 entre Macedo de Cavaleiros e Vale Benfeito. Com uma extensão total de 242 km, dos quais 232 km são de construção nova, divide-se em 111 km de IP2, entre Macedo de Cavaleiros e Celorico da Beira, estendendo-se do distrito de Bragança até à Guarda e 131 km de IC5 que ligará Murça, no distrito de Vila Real, a Miranda do Douro no distrito de Bragança. A concessão irá incluir também o lanço com 10 km do IP2, que actualmente liga Macedo de Cavaleiros a Vale Benfeito. As duas infra-estruturas rodoviárias beneficiarão directamente os concelhos de Alijó, Murça, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Bragança, Miranda do Douro, Mogadouro, Alfândega da Fé, Vila Flor, Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, V.N. Foz Côa, Meda, Trancoso e Celorico da Beira.

Os trabalhos rodoviários adjudicados estão repartidos por seis lotes: 1,6,7,8, 9 e 10, sendo que a Mota-Engil Engenharia tem a seu cargo a totalidade dos trabalhos em todos eles, exceptuando no Lote 8, onde apenas executa algumas Obras de Arte Correntes.

O Lote 1 compreende uma extensão de 28,5 km de novo troço do IP2, ligando Vale Benfeito (dando continuidade ao Lote 10) à Junqueira, acompanhando o Vale da Vilariça em grande parte do seu traçado. Para além dos 2,5 milhões de m3 de movimentos de terras, a execução deste lote envolve a construção de nove Obras de Arte Especiais (Viadutos), 27 Obras de Arte Correntes (Passagens Superiores (PS), Passagens Inferiores (PI), Passagens Agrícolas (PA) e uma Passagem Hidráulica/Fauna) e o Túnel de Bornes, realizado pelo processo de Cover and Cut.

Os 24 km previstos para o Lote 6, entre Murça (Nó do Pópulo - IP4) e Pombal (Carrazeda de Ansiães), constituem um novo troço do IC5. Nesta empreitada destacam-se

os cerca de 4 milhões de m3 de movimentos de terras (com elevada percentagem de rocha), e duas obras de Arte Especiais, nas quais se inclui a Ponte sobre o Rio Tua, constituída por uma superestrutura contínua de apenas três tramos, de grandes dimensões, formada por um tabuleiro em viga caixão com 14,40 m de altura na zona dos pilares e com um comprimento total de 500 m entre eixos de apoio extremos. O vão central de 220 m, realizado em betão através de avanços sucessivos, é o segundo maior executado em Portugal através de avanços sucessivos e sem recurso a tirantes, é o segundo maior do género em Portugal e o 12.º no mundo. Os trabalhos incluem ainda a execução de 29 Obras de Arte Correntes e um traçado alternativo (designado de Solução Norte) para o troço entre Carlão e Pombal, com cerca de 15 km de extensão.

O Lote 7 do IC5, com uma extensão de 24 km, dá continuidade ao Lote 6, entre Pombal e Nozelos, onde permite a ligação com o IP2. Inclui dois Nós Viários (Ansiães e Vila Flor) e uma ligação viária a Vila Flor com cerca de 1700 m. São de realçar os cerca de 3 milhões de m3 de movimentos de terras a realizar (com grande predominância de rocha apenas desmontável a fogo), duas Obras de Arte Especiais e 25 Obras de Arte Correntes.

Para o Lote 8 do IC5, que se desenvolve entre Nozelos, onde liga com o IP2 e Mogadouro, a Mota-Engil Engenharia celebrou um contrato de consórcio com a Opway para execução das 15 Obras de Arte Correntes.

O lanço do IC5, que liga Mogadouro a Duas Igrejas (próximo de Miranda do Douro), está inserido no Lote 9 e tem cerca de 37,5 km. A empreitada envolve cerca 1,5 milhões de m3 de movimentos de terras e 31 Obras de Arte Correntes, onde estão incluídas uma Passagem Inferior para Ciclovia e uma Passagem Inferior para Caminho Romano.

O último lote adjudicado à Mota-Engil Engenharia contempla a beneficiação do troço, com cerca de 10 km, Macedo de Cavaleiros/Vale Benfeito do IP2. O Lote 10 contempla as seguintes medidas de melhoramento: execução de Canal Técnico Rodoviário; iluminação dos Nós de Macedo de Cavaleiros e da EN216; colocação de Barreiras Acústicas e Guardas de Segurança; colocação de Microaglomerado Betuminoso a frio; reformulação da Sinalização Horizontal e Vertical; e construção de uma variante que integra a construção de uma PA, para restabelecimento de um caminho rural existente.

Finalmente o Lote 10 contempla a beneficiação do troço do IP2, com cerca de 10 km, entre Macedo de Cavaleiros (ligação ao IP4) e Vale Benfeito. Os trabalhos previstos como a execução de Canal Técnico Rodoviário; iluminação dos Nós de Macedo de Cavaleiros e da EN216; colocação de Barreiras Acústicas e Guardas de Segurança; colocação de Microaglomerado Betuminoso a frio; reformulação da Sinalização Horizontal e Vertical estão concluídos. Entretanto, foi suprimida a construção de uma variante que visava melhorar as características da curva existente na parte final do traçado.

"A Subconcessão do Douro Interior representa só para a Mota-Engil Engenharia cerca de 250 milhões de euros de trabalhos para executar num prazo de pouco mais de dois anos. Este é um volume de trabalhos fulcral na só na margem da empresa para este ano como também para 2011". As declarações são do administrador da Mota-Engil Engenharia, Eng. Carlos Mota Santos, que visitou as obras dos Lotes 6 e 7 em Junho, com o presidente da Comissão Executiva, Dr. Jorge Coelho.

Segundo o Eng. Carlos Mota Santos, representa um trabalho muito significativo. "Estamos a falar só para a Mota-Engil Engenharia em mais 250 milhões de euros de obra para executar num prazo de um pouco mais de dois anos e para além do volume de trabalho, representa uma parte importante da nossa margem para este ano e para o próximo ano".

Não esquecendo a vertente da Sustentabilidade, e tendo como objectivo celebrar o Ano Internacional da Biodiversidade, os Lotes da Mota-Engil Engenharia da Subconcessão do Douro Interior lançaram uma campanha de sensibilização que consiste em celebrar nos 12 meses do ano, 12 espécies diferentes de fauna selvagem. Neste sentido, já foram referenciadas a Cegonha Negra (em Janeiro), a Lontra (Fevereiro), a Rela (Março), o Tartaranhão-caçador (Abril), o Texugo (Maio), Cobra-rateira (Junho) e o Abelharuco (Julho).

Ainda neste âmbito, de referir também, em 2009, e para além das iniciativas alusivas à Semana Europeia da Prevenção de Resíduos (21 a 29 de Novembro), a libertação de um Grifo, que tem estatuto de Conservação "Quase em Perigo". A iniciativa foi promovida em conjunto com o Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens e, num acto simbólico, o Grifo foi apadrinhado e baptizado como Candal (a alcunha de Mário Silva, um dos mais antigos colaboradores da Mota-Engil com 53 anos de casa), numa acção sob o lema "Compensar os Impactos Negativos da Construção".

OS SEIS LOTES DA MOTA-ENGIL ENGENHARIA

Lote 1 - IP2: Troço Vale Benfeito/Junqueira - os trabalhos começaram em Agosto de 2009 e têm conclusão prevista para Novembro de 2011. O valor do contrato ronda os 81 milhões de euros.

Lote 6 - IC5: Troço Murça/Nó de Pombal - os trabalhos começaram em Agosto de 2009 e têm conclusão prevista para Novembro de 2011 (esta data de conclusão poderá passar para Abril de 2012 em resultado da aprovação tardia da Solução Norte). O valor do contrato ronda os 96 milhões de euros.

Lote 7 - IC5: Nó de Pombal/Nozelos (IP2) - os trabalhos começaram em Outubro de 2009 e têm conclusão prevista para Dezembro de 2011. O valor do contrato ronda os 53

Lote 8 - IC5: Nozelos (IP2)/Mogadouro - os trabalhos tiveram inicio em Junho de 2010 e têm conclusão prevista para Junho de 2011. O valor do contrato é de cerca de 4,1 milhões de euros.

Lote 9 - IC5: Mogadouro/Miranda do Douro - os trabalhos começaram em Janeiro de 2010 e têm conclusão prevista para Novembro de 2011. O valor do contrato ronda os 36 milhões de euros.

Lote 10 - IP2: Macedo de Cavaleiros/Vale Benfeito - os trabalhos começaram em Janeiro de 2009 e ficaram concluídos em final de Maio de 2010. O valor do contrato ronda os 2,4 milhões de euros. Entretanto, com a eliminação da rectificação do traçado da curva, o valor do contrato deverá passar para cerca de 1 milhão de euros.

  • Outras Notícias
    • Mota-Engil Engenharia/Parque Escolar Primeiro-Ministro inaugura Escola Passos Manuel
    • Ler Mais »
    • Mota-Engil Engenharia na Vanguarda da Geotecnia
    • Ler Mais »
    • INNOVCENTER a Plataforma Inovadora da Mota-Engil Engenharia
    • Ler Mais »
    • II Passeio de BTT Rentaco 2010
    • Ler Mais »
    • Direcção de Equipamento Portugal e Espanha realiza simulacro no Estaleiro do Porto Alto
    • Ler Mais »
    • A16 Agregado mais leve evitou Demolição de Passagem Inferior
    • Ler Mais »
    • Mota-Engil Engenharia Bloco de Serpa em Fase de Conclusão
    • Ler Mais »

© 2019 MOTA-ENGIL, SGPS