Número 36 . Novembro 2010
Angola, o reconhecimento de uma Estratégia Vencedora

A fotografia que abre a capa desta edição da SINERGIA é o espelho da confirmação de uma estratégia correcta com 64 anos de história.

Antecipar realidades, saber contornar dificuldades, confrontar problemas, ter coragem para assumir riscos, profissionalismo e persistência  para cumprir objectivos, têm sido princípios dos quais, ao longo destas dezenas de anos, o Grupo Mota-Engil nunca abdicou.

E, por isso, a inauguração da Novicer, empresa industrial constituída maioritariamente pela Mota-Engil na zona do Cacuaco, em Luanda, "a mais moderna fábrica de tijolos em África" como a caracterizou o Eng.º António Mota na cerimónia, contou com a presença dos Chefes de Estado de Portugal e Angola, o Prof. Cavaco Silva e Eng.º José Eduardo dos Santos, respectivamente.

Por tal facto ser marcante para o Grupo Mota-Engil, refiro novamente que foi com um grande orgulho que o Grupo contou na cerimónia com a presença dos mais altos representantes do Estado dos Países com os quais a Mota-Engil está mais interligada na sua história de 64 anos.

Porque contar com a sua presença, representa, é certo, o reconhecimento do mérito do projecto (um Investimento de 36 Milhões USD numa área total de 10 ha e que gerará emprego para 100 angolanos e a promoção da produção interna de cerâmica), mas mais do que isso, simboliza o reconhecimento que de ambas as partes é feito pelo percurso que o Grupo Mota-Engil tem mantido neste País, tendo estado sempre na linha da frente no compromisso com os angolanos e com o desenvolvimento de Angola, tal como no reforço das relações comerciais entre os dois Países.

Contribuir para a industrialização de Angola, para além de promover o desenvolvimento de competências técnicas nos cidadãos angolanos (facto já em curso com o Centro de Formação construído em Luanda num Investimento exclusivo da Mota-Engil) são alguns dos princípios que nos levam a aprofundar, cada vez mais, a nossa presença, assumindo-nos como investidores de longo prazo neste mercado como Grupo angolano que hoje somos através da Mota-Engil Angola.

No processo de permanente crescimento em Angola, temos hoje uma estratégia partilhada com parceiros angolanos, desenvolvendo uma estratégia de gestão enquadrada com o que tem sido o nosso percurso neste País, reforçada por um presente suportado numa equipa de que nos orgulhamos e motivados pela confiança que temos no futuro de Angola.

Sabemos entender os sinais dos tempos e responder-lhes com seriedade e profissionalismo.

Mas, se estendermos esta reflexão a outros mercados, verificamos que o processo de internacionalização crescente que o Grupo Mota-Engil tem evidenciado tem tido por base alianças sólidas com parceiros locais como forma de crescimento sustentado e de criação de valor para o Grupo.

Foi com esse objectivo que também nos últimos meses, para além de aumentar a actividade operacional do Grupo a nível internacional (evidenciada pela carteira angariada bem como o Volume de Negócios alcançado e a sua representatividade nos Resultados), acordámos a aquisição de participações em empresas de construção na Polónia e no México e no sector ambiental no Brasil, tendo neste último caso sido assinado o Acordo de parceria com a Geovision por ocasião da Cimeira Luso-Brasileira que se realizou em Lisboa e que contou com a presença do Presidente Brasileiro Lula da Silva e o Primeiro-Ministro Português, Eng.º José Sócrates.

Esta é uma estratégia fundamental para concretizarmos a Visão de futuro que temos, sendo incontornável a aposta no reforço da internacionalização, facto comprovado pelas recentes estatísticas que demonstram a redução do Investimento, traduzido em adjudicações, em Portugal durante o primeiro semestre do ano.

Não temos alternativa. Um mercado nacional bem estruturado e dimensionado, o reforço e aceleração da internacionalização e uma diversificação sólida são os pilares centrais do nosso futuro colectivo.

Efectivamente, um dos pilares da estratégia tem sido o de desenvolver uma estrutura mais imune aos ciclos económicos em cada região em que o Grupo marca presença, tornando por sua vez cada região mais diversificada nas suas áreas de negócio, fazendo assim com que o Grupo Mota-Engil seja mais sustentável, competitivo e eficiente.

Não podemos estar dependentes nunca nem de um só mercado, nem de um só negócio. O equilíbrio é a base da nossa sustentabilidade.

Mas este é também, por si, e nos tempos difíceis em que nos encontramos, um exigente desafio que se nos coloca diariamente, mas para o qual sentimos, independentemente das contrariedades, a capacidade e motivação para sermos, cada vez mais, um Mundo de Inspiração.


© 2019 MOTA-ENGIL, SGPS