Número 36 . Novembro 2010
Républica Checa, no reino da Boémia

A República Checa tem pouco mais de 10.5 milhões de habitantes e é, fisicamente, um pequeno país. No entanto, a posição que ocupa na Europa Central confere-lhe uma grande relevância estratégica. A sua história recente, com mudanças profundas e constantes, é um reflexo da sua importância geoestratégica. Faz fronteira, a norte, com a Polónia, a este com a Eslováquia, a sul com a Áustria e a oeste com a Alemanha. Um outro reflexo é a diversidade cultural, religiosa e política resultante de várias influências ao longo da história.

Do ponto de vista económico, a República Checa é uma das economias mais estáveis e dinâmicas dos países que estavam sob influência da União Soviética. Antes da II Guerra Mundial, este era um dos dez países mais industrializados em todo o Mundo. Hoje em dia, a indústria continua a ter um papel determinante na actividade económica, designadamente a indústria automóvel, com a produção dos veículos Skoda, que tem um peso preponderante no volume das exportações. A famosa cerveja Pilsen é outra - das muitas - imagens de marca dos checos.

A nível arquitectónico, Praga, a capital do país, é uma cidade inesquecível, com uma fantástica preservação do seu património milenar. A preocupação em preservar e cuidar do património histórico e cultural coloca a República Checa como caso único em países de pequenas dimensões, ao conseguir 12 monumentos classificados pela UNESCO.

Um outro sinal, bem expressivo, da afirmação do valor da cultura e do conhecimento é a taxa de alfabetização de 99 por cento. A actividade cultural é intensa e são vários os nomes na literatura e música que alcançaram uma reputação mundial.

História

A história da República Checa é recente mas tem sido sujeita a uma mudança vertiginosa.

A independência do império austro-húngaro foi conseguida em 1918. Depois da II Guerra Mundial, pertenceu ao "bloco de Leste", sob influência da União Soviética. Em 1968 ficou conhecida a "Primavera de Praga", uma tentativa de intelectuais ligados ao Partido Comunista de reformularem o regime. A invasão das tropas do Pacto de Varsóvia provocou um ponto final nesta tentativa de reforma.

A mudança só se deu em 1989 com a "Revolução de Veludo". A partir desta data, tem sido uma mudança incessante. Quatro anos depois a Estónia, decidiu separar-se, o que deu lugar à República Checa. A viragem é reforçada com a entrada na NATO, em 1999, e com a adesão à União Europeia, em 2004.

Para menos de um século de história, são muitas as mudanças, mudanças essas que são também o reflexo da importância estratégica do país na Europa.

Economia:

A República Checa teve, no ano passado, a maior recessão dos últimos 20 anos. A crise internacional afectou de forma profunda a economia checa, que se sustenta nas exportações, em particular dos automóveis Skoda, do Grupo Volkswagen. No ano passado, a República Checa registou um défice de 6,6 por cento.

Os sinais da recuperação já começaram a surgir, com dois trimestres consecutivos a registarem um crescimento médio de 0,7 por cento do PIB. As estimativas do ministério das Finanças da República Checa apontam para uma recuperação gradual da economia nos próximos anos.

Para este ano, a previsão é de um aumento da actividade económica em 1,3 por cento (o FMI aponta para 1,5) e de 2,6 por cento em 2011. Quanto ao défice, a expectativa é a de haver uma redução para 5.3 por cento este ano; este valor deverá situar-se abaixo dos 3 por cento em 2013. Caso estes objectivos sejam atingidos - e com a inflação controlada - a República Checa espera entrar no Euro em 2015.

O desemprego continua a ser um problema, embora com valores abaixo da média da União Europeia. No ano passado, foi registada uma forte subida da taxa de desemprego, mas o ponto mais alto vai ter lugar este ano - no primeiro trimestre estava próximo dos 10 por cento. No final do ano, a taxa de desemprego deverá começar a descer, estagnando em 2011.

Grupo Mota-Engil na República Checa:

O Grupo Mota-Engil está presente na República Checa desde 1997, destacando-se a sua participação na SEFIMOTA.

Esta empresa dedica-se em grande parte à construção civil, ainda que também execute obra pública. A SEFIMOTA tem também desenvolvido actividade na área ambiental, promovendo a construção de ETAR's e procurando entrar pelo segmento das redes de águas.

Sublinhe-se que a SEFIMOTA faz parte do "TOP 30" do seu sector de actividade no mercado checo. A empresa tem como objectivo, no seu plano estratégico, a abertura de novas áreas de negócio, essencialmente para as obras públicas e construção de infra-estruturas de transporte.

No mercado da República Checa, o Grupo Mota-Engil conta também com a presença da Sucursal da Mota-Engil Engenharia e com um conjunto de empresas da área do imobiliário na esfera da M-Invest, s.r.o.

No total, o volume de negócios do Grupo Mota-Engil na República Checa em 2009 foi de 39.438 milhares de euros.

No decorrer da visita do Presidente da República, Cavaco Silva, à República Checa, no passado mês de Abril, foi destacada a presença do Grupo Mota-Engil neste país. Um dos motivos para o sucesso desta presença, segundo a imprensa portuguesa, tem a ver com a conjugação da experiência de quadros portugueses que estão há muitos anos nestes mercados e a aposta em quadros locais. Por outro lado, é igualmente relevante o investimento na formação, nomeadamente através da Academia Active School.

O administrador da Mota-Engil, Ismael Gaspar, fez parte da comitiva empresarial que acompanhou o Presidente da República, Cavaco Silva, referiu que a República Checa é um dos países prioritários do Grupo na Europa Central.

O principal negócio na República Checa é construção, mas Ismael Gaspar admite poder haver oportunidades para outros negócios do grupo, nomeadamente na área de serviços e ambiente.

Praga: a cidade das cem torres

Praga é um "must", uma cidade obrigatória de visitar. Para muitos, uma das mais bonitas cidades da Europa; tem um património arquitectónico extraordinário, uma actividade cultural invejável e uma beleza difícil de esquecer.

A cidade envolve o rio Moldava, com as suas pontes antigas, e as colinas revelam edifícios marcantes, dos quais se destaca o Castelo de Praga - um objecto sedutor para os fotógrafos, de dia e de noite. Dois outros "postais ilustrados" muito conhecidos são a ponte Carlos e o relógio astronómico. É ainda obrigatório visitar a catedral de S. Vito, o Teatro Nacional, o gueto e o cemitério judeus, a igreja do Menino Jesus de Praga, o Palácio do Senado e o jardim de Valdštein. Na parte nova da cidade, um dos locais mais relevantes é a avenida que termina com a estátua de São Venceslau, o palco da "Revolução de Veludo".

A vida cultural é muito intensa. A cidade tem cerca de 50 teatros, estão quase sempre esgotados, além de muitos concertos em igrejas. Isto sem falar nas inúmeras actividades ao ar livre na cidade velha. As ruas e as pontes são os ateliês de muitos pintores e o palco de alguns músicos.

Praga tem uma população estimada em pouco mais de um milhão de habitantes e recebe quatro milhões de turistas por ano.

Václav Havel

Václav Havel é uma figura marcante na história recente da República Checa e da antiga Checoslováquia. A sua principal actividade é a literatura, destacando-se como dramaturgo.

Mas, na verdade, o escritor está mais ligado à actividade política e à defesa da Liberdade. Václav Havel esteve envolvido na "Primavera de Praga", em 1968, uma tentativa fracassada de reformar o regime, e foi o ícone da "Revolução de Veludo", o movimento popular que depôs o regime comunista em 1989.

Nesta altura, foi eleito Presidente da Checoslováquia e defendeu sempre a continuidade de um país federado, de checos e eslovacos. Não conseguiu este objectivo. Em 1 de Janeiro de 1993 teve lugar a separação política da Eslováquia e Václav Havel renunciou ao cargo de Presidente. Foi o último presidente da Checoslováquia e também o primeiro da República Checa, após as eleições de Janeiro de 1993. Ocupou este cargo até 2003.

Václav Havel é um assíduo visitante de Portugal.

Milan Kundera

Milan Kundera tem hoje a nacionalidade francesa mas, para toda a comunidade literária, a referência é a Checoslováquia, a sua terra natal.

Milan Kundera nasceu em 1929 em Brno, na Checoslováquia e foi uma das figuras relevantes na chamada "Primavera de Praga", em 1968 - um movimento liderado por intelectuais e que defendia profundas alterações no regime. Apesar do fracasso desta tentativa e de estar impedido de publicar a sua obra na Checoslováquia, Kundera apostou em outros processos reformistas até 1975. Neste ano, mudou-se para França e, cinco anos depois, obteve a nacionalidade francesa.

Este escritor marcou várias gerações através de uma obra literária notável. Em Portugal, o romance que mais se destacou foi "A insustentável leveza do ser." Em 1988, este romance foi adaptado para o cinema num filme realizado por Philip Kaufman, com os actores Daniel Day-Lewis e  Juliette Binoche.

Franz Kafka

Kafka nasceu em Praga, em 1883. O seu legado literário é superior a 30 obras, sendo as mais marcantes "A Metamorfose", "O Processo" e "O Castelo".

A obra de Kafka entrou no nosso vocabulário: "Um processo kafkiano" é uma expressão recorrente para expressar o labirinto da condição humana e da organização social. De certa forma, é também o retrato de Franz Kafka, que cresceu sob a influência de três culturas: judaica, checa e alemã.

A sua vida foi marcada por relações complexas, reforçando o seu comportamento solitário. A fama chegou mais tarde: as obras foram publicadas após a sua morte. Kafka morreu em 1924, num sanatório.

Emil Zátopek

Nome sonante do Atletismo a nível mundial, com um curriculum incomparável, Emil Zátopek é conhecido como a "Locomotiva de Praga": foi o único atleta a vencer, na mesma edição dos Jogos Olímpicos - em Helsínquia, em 1952 -, as provas dos 5 mil, 10 mil metros e a Maratona, tendo batido dois recordes olímpicos. Zátopek tinha 30 anos de idade.

Ao todo, Zátopek bateu 18 recordes mundiais e retirou-se da competição em 1954 após um outro feito: 38 vitórias consecutivas na corrida dos 10 mil metros.

Emil Zátopek nasceu em 1922 em Koprivnice e faleceu em 22 de Novembro de 2000.

Petr Cech

Cech é um dos guarda-redes mais conhecidos do futebol da actualidade. Veste a camisola do Chelsea, da Premier Liga Inglesa, desde 2004, ano em que esteve 25 jogos sem sofrer um golo. É considerado um dos melhores guarda-redes do Mundo e foi eleito como fazendo parte da equipa ideal no Campeonato da Europa em Portugal, em 2004.

Uma outra particularidade de Petr Cech é a utilização de um protector na cabeça, depois de ter sido atingido por um adversário em 2006. No ano seguinte, regressou à baliza do Chelsea e o seu desempenho não foi afectado, garantindo a titularidade na equipa.

Petr Cech tem 1.96m de altura, nasceu em 20 de Maio de 1982, em Pizen e, curiosamente, começou a praticar futebol como médio e avançado.

Ficha:

Nome: República Checa

Independência: em 1918; separação da Eslováquia em 1993

Capital: Praga

Número de habitantes: 10,5 milhões

Esperança de vida: 76,4 anos

Taxa de pessoas em risco de pobreza: 8%, a menor da UE

Superfície total: 78 866 km²

Sistema político: república

Moeda: coroa checa

Língua oficial: checo

  • Outras Notícias
    • República Checa Curiosidades
    • Ler Mais »

© 2019 MOTA-ENGIL, SGPS