Número 36 . Novembro 2010
Ascendi recebe adjudicação provisória para a concessão do Pinhal Interior

Trata-se de uma subconcessão em regime de disponibilidade com um prazo de 30 anos e cujo investimento inicial atinge um valor na ordem dos 1.429 milhões de euros. Este investimento será financiado por capitais próprios na ordem dos 210 milhões de euros e por financiamentos a contratar junto do BEI e banca comercial  na ordem dos 1.200 milhões de euros.

O valor do contrato de construção é de 958 milhões de euros, os quais incluem expropriações a realizar no valor de 45 milhões de euros.

O Consórcio Ascendi Pinhal Interior é liderado pela Ascendi com uma participação de 76,9%, sendo parte do mesmo a Monteadriano, Sociedade de Construções H. Hagen, Empresa de Construções Amândio de Carvalho, Alberto Martins Mesquita e Filhos e Rosas Construtores.

O Projecto localiza-se na Zona Centro do País e inclui dois eixos principais (IC3 e IC8). O IC3 é um eixo vertical que liga a futura Subconcessão da AE Centro desde o nó de Coimbra (IP3/IC2) até à A23 na zona de Torres Novas e o IC8 é um eixo horizontal que liga a A17 à zona de Pombal/Ansião, e até novamente à A23, junto a Vila Velha de Rodão. Estas novas ligações vão permitir reduzir em mais de 40%, tanto a taxa de sinistralidade, como o tempo médio de percurso.

Em termos esquemáticos, a concessão terá a seguinte configuração:

Entra imagem da configuração

No total, temos 520,3 km de vias, dos quais 162,8 km são construção nova (80 km com perfil de auto-estrada e 83 km com perfil EN), 180,6 km de reabilitações e 176,9 km de manutenção de estradas existentes.

Os lanços portajados em regime de portagem free-flow terão uma extensão aproximada de 115,0 km.

Em termos técnicos, os trabalhos envolvem a construção de 45 pontes e viadutos, com uma extensão total de 16.225 m, tendo a mais longa cerca de 1.675m e a mais alta cerca de 109 m.

Os trabalhos incluem igualmente a construção de 67 passagens superiores e 61 passagens inferiores.

Adicionalmente, o projecto envolve a construção de 3 túneis, com uma extensão total de 3.173 m, tendo o maior cerca de 1.664 m.

Um empreendimento com estas características deverá permitir criar cerca de 4.000 novos postos de trabalho, associados às fases de construção, exploração e manutenção da via (emprego directo), bem como emprego indirecto, que se estima ser criado em resultado da melhoria das acessibilidades promovidas pela nova concessão.

  • Outras Notícias
    • Mota-Engil Brasil Rodovias do Tietê builds nine toll plazas in six months
    • Ler Mais »

© 2019 MOTA-ENGIL, SGPS